Transcrição

Já estamos no ar com mais um episódio aqui do à Deriva e eu preciso só da alguns aviso antes começado os patrocinadores toda essa coisa chata que nem gosta de ver todo mundo pula vamos lá mesmo assim saco cheio de TV acesso aí saco cheio. Tv para virar um membro da plataforma e ter acesso ao conteúdo exclusivo dos assinantes lá do saco de tv sobre o à Deriva quem assina saco cheio TV pode mandar perguntas para os convidados do à Deriva no final do programa vamos aqui para avisar os assinantes pelo grupo do telegram que só quem tem acesso só as pessoas que estão lá no saco cheio com TV Então acesse o saco cheio com TV e além de tudo isso também consome o meu podcast toda sexta-feira lá no saco cheio. Tv é que você me 21 treinos para você fazer na sua casa se você não gosta de ir na academia eu não gosto de pegar peso ou não tem tempo de ir na academia como é que você me 21 tem uma plataforma com mais de 200 itens para você fazer com seu corpo na sua casa onde você quiser o quarto na sala ou na praça e você vai se manter em forma vai emagrecer com ex ep 21 E aí Arthur Petry ponto com barra x-treme 21 e aprenda a falar inglês com WhatsApp online acesso aí vai primeiro. Com.br/Arthur Petry você vai aprender a falar inglês de uma vez por todas tá É isso aí e estamos aqui com o meu ex-professor de teatro dão Rossetto é assim tá certinha a sério você também é meu nome é outra Qual é o nome mas aí a gente vai falar isso já vem negociar para poder te falar é mistério não não é mistério é tem todo um Porquê desse nome assim aconteceu uma coisa para chegar nesse nome aí então mais por aí eu não vou te contar com se você for dar um Google uma vez fizeram isso curiosa foram oito páginas de para achar o nome numa numa das nome verdade é o nome o nome de salão de guerra mas nós vamos de chegar nesse nome no meio do episódio vou de vou ter que eles falar vou ter que me esforçar para tirar essa informação Beleza então assim o Dani foi para professor no curso do vou filmar e aquele Intense há quatro semanas e cada semana é uma música canto dança teatro e TV e o da que ele foi para professor no curso de teatro e eu quis chamar aqui porque nesse curso eu fiz vários cursos de teatro já e me chama muita atenção a tua capacidade de tirar coisas as pessoas que elas nem imaginam que elas tinham dentro delas tá certo por aí você que tá dizendo mas eu fiquei curioso para você falou de resolvi te chamar aqui porque os fiz o curso com o que me fala por que que aconteceu o quê com você ali é isso aí não foi legal nesse sentido para mim foi muito bom evoluir muito depois daquele curso e acabou ficando aqui né preta e depois ela mandou aqui né eu voltar em março a eu sempre depois eu fiquei Janeiro aqui fez aquele curso foi embora pensei Não vou ter que ficar lá porque lá tem tá tudo acontecendo lá às quatro semanas que eu fiquei aqui em São Paulo em janeiro para fazer aquele curso Eu também fiz stand-up conhecer um monte de gente fiz um monte de coisa então eu percebi que não dava mais para ficar aí em Porto Alegre lá perguntei nada o rolo e também né as vezes que você mais aqui um mês você não faz lá em um ano assim seja muito a porta para bater muita coisa para ir atrás Sim ela em Porto Alegre não eu eu passei minha vida inteira lá eu fiz alguns cursos de teatro e não sente que tava acontecendo alguma coisa que eu adoro Porto Alegre eu fui para lá duas vezes lá na minha vida não fiquei muito tempo e gostei muito da cidade Gostei muito que eu vivi La Salle mas foi para turismo eu não vou trabalhar eu fui para trabalhar fui no Porto Alegre em cena a eu tenho isso aí fui fazer um ele fui fazer uma uma apresentação na Casa de Cultura Mario Quintana uma obra do Quintana Então eu fui meio que com tudo programado com o tempo bem ocupado e gostei bastante lá ela tem o Porto Alegre em cena é eu acho que a única é uma eu não sei o que que é exatamente é um festival usam grande de teatro as internacional uma coisa que movimenta um bom de grupo Band espetáculo com gente famosa eu tava fazendo uma peça com táxi op é por isso que eu fui senão ele é um festival fechado Grande o saco que eu não sei ganhar o se o player não sei ok tudo bem amor é ver toda se pega muito bom falando palavrão pode conversar com uma pessoa que eu fiz um Não sei o que é você vai saber quem é porque tipo assim eu lembro que eu aprendi observando o que fazer com os alunos O que exatamente com que eu tava passando lá então o que eu queria te dizer perguntar é quando eu vi tu dando aula de teatro lá eu percebi que tu entendia muito das fraquezas da psique humana e como fazer a pessoa mesmo conseguir ultrapassar aquilo porque no curso de teatro lá muita gente se limita acha que não vai conseguir fazer aquela coisa e eu lembro que tu tinha uma habilidade muito grande de fazer a pessoa o download romper limites do que ela tava conseguindo ou não naquele momento é exatamente isso a diferença é quase que tirar um demônio da pessoa minha mãe de pessoa que tecido pastor foi fui fazer preparação de Elenco direção tem um pouco isso mesmo e da da onde que vem é porque eu tive vários professores e não eram todos que tinham esse entendimento assim da psique humana e conseguir fazer pessoas evoluírem assim qual é a é uma coisa que tu estuda conscientemente a psique humana aplicar para as artes cênicas ou uma coisa natural que então tem tem a História bonita EA feia né a bonita isso eu estudo Eu leio eu é aquela que todo mundo gosta de ouvir né aí agora disciplina tal e a Feia um pouco que eu gosto de me meter nesses lugares sabe eu nunca fui muito muito Professor margarina muito fofinho no sentido de só querer ver o lado bom do ser humano né como eu também escrevo as minhas obras também permeiam esse lugar então como dramaturgo e o meu mergulho vou nesse lugar então é é O que é recriar um outro mundo é um outro universo você cria um mundo paralelo ali aí acho que esse entendimento de poder criar esses universos essas personagens tão estranhamente humanas me fez também olhar para humano dessa forma eu acho muito bonito agora é desgastante viu é uma energia que que você também tem que do ali no momento porque você tem que fazer a pessoa enxergar às vezes ela não quer enxergar E aí você vai tirando ali de uma maneira quase que cirúrgica e delicada todo turista que Drena um pouco outro energia tu tem que ser o sites locais mais obscuros da do cérebro humano e corri não é corrigir mas fazer aquela pessoa que passar aquele mito isso tira a tua energia apontar né porque a gente a gente vem ao mundo para ser legal para ser bom para votar todo ano de eleição aí eu passei a gente tem uns 10 Domingo descansa essa coisa que vão colocando na gente assim a gente o que vão enquadrando a gente dentro de vários sistemas e isso na hora de trabalhar o ator dá uma enrijecida né o cara tem que entender que ele é uma coisa o personagem é outra mas o personagem parte dele e aí como é que o cara vai tirar coisa se o cara não conhece então e geralmente o ser humano fica no campo mental a gente projeta tem ideia a gente quer fazer e a gente quer ir a gente e aí chega uma hora que a gente não vai né E aí a gente vai acostumando a mentalizar muita coisa e a não realizar e o meu trabalho é um pouco esse fazer a pessoa enxergar que também é lindo para você Despertar a ira dentro de um personagem você conhecer onde é que dói em você onde é que não é e coisas que a gente não mostra porque a gente tem que viver tem que andar tem que ter que correr o dia não dá para ficar mostrando né então tem daí a isso isso pesa né porque geralmente alguém que você não conhece já o curso que a gente fez foi uma semana então geralmente tem que chegar de um jeito eu queria a empatia e sabe o trabalho também é esse de fazer entender que que confia né vamos vamos devagarzinho aqui Vamos confiar e vamos trabalhar que vai ser bom sim eu lembro que fiz existe uma uma discussão outro deu como matéria mesmo lá na lá no curso sobre o choro do ator e se eu tiver errado me corrija Existem duas teses para fazer um ator chorar o exercício né E uma é que o cara Lembra de algo que ele passou ele acesso aquilo na hora da cena e chora e tem a outra a outra tese que aqui tu gosta de defendia lá né que o cara não precisa lembrar da mãe dele que morreu para conseguir chorar em cena não explica como é que funciona esse acesso essas sensações relações humanas Tecnicamente a gente está falando da memória emotiva que vai lá no Stanislavski Russo pesquisador teatral logo ator que criou alguma série de livros estudos modernizou o teatro o estudo do teatro né Mundial é por esse russa o e Stanislavski ele cria um cantinho Stanislavski i é uma das das técnicas dele é a memória emotiva né acessar alguma dor através de algo que tem acontecido com você na época ele fez isso porque o teatro era muito elitizado então eles queriam falar de outros problemas era para falar de repente da sei lá do do Vamos dar um jantar em casa e o Hulk tá tudo bem era elite ali mostrando totalmente mascarada né então era o teatro que se consumiu tô falando isso de muito tempo atrás não era acho que deve ter sido virada de século um pouco anterior né É E aí e quando ele vem ele vai provocar a memória emotiva era para dar uma modernizada no teatro então você não está desassociada no teu personagem você tem que se conhecer né para poder entregar um bom trabalho o que acontece com a memória emotiva é que ela foi se defasando foi ficando antiga e foi surtando algumas pessoas para você imagina aí não é só sobre o choro né é a você vai fazer um assassino lembra de quando você matou alguém fora p**** mas aí né então ele vai ele vai te limitando a você encontrar elementos para poder fazer os personagens estão fica numa zona fofa de vida e aí chegou uma hora que isso foi ficando mais limitado e vieram outros estudiosos que foram recriando esse esse essa memória emotiva né e e é onde eu começo a me encontrar e falar um pouco da sensação né porque assim ah eu posso não não ter assassinado ninguém mas a sensação de matar eu tenho tem dia que a porta para Se eu pegar alguém hoje na minha frente eu mato e a partir disso que eu vou trabalhar esse o time através dessas Sensações que eu tenho né que tem sou humano a gente só precisa reconhecer Eu acho que o choro e é muito louco porque a televisão principalmente ela ela vende muito né o sofrimento através do choro não parece que o pico aqui se de um personagem sofrerá ele olhar para a câmera enquadrar o rosto Escorreu uma lágrima assim sabe a coisa fica até até fake em algumas vezes não precisa chorar para saber que você tá triste muitas vezes eu não quero nem te mostrar que eu tô chorando dependendo da minha dor Se eu vou chorar eu vou querer limpar porque eu não vou querer mostrar E aí você vai o cara da vira a cara e chora né Isso é isso é tafona E aí eu tenho Obrigado no bom sentido para mostrar para os atores principalmente os jovens que tem essa referência da televisão desse choro enquadrado e que que às vezes é feio que não tem nada é só para ser bonito esteticamente a gente não precisa mais né não precisa mais ser bonito esteticamente a gente sabe tu tá sentindo através da tela então eu brigo muito por isso sabe eu acho que a memória emotiva a gente pode trocar ela para memória sensorial que a sensação todo mundo tem vamos caracterizado de tênis Lagos mas tem coisas que que precisam se modernizar e eu fui encontrando um método particular então eu tenho estudado que eu te falo eu tenho estudado praticado e criado meio que uma técnica de pesquisa particular né que funciona nos meus processos de sala tu estuda o ser humano é fora das artes cênicas para entender o que fazem Todos nós temos um assassino dentro da gente a gente se controla porque a gente tá vivendo sociedade ali ele não pode tirar isso para fora mas no teatro é o a gente pode tirar é e eu gosto muito essa visão de que nós temos a nossa suas coisas podres aqui dentro e a gente se controla e lá no teatro talvez alguém pode passar achar Nossa que absurdo tá dizendo que o ser humano tem um assassino dentro mas a gente tem como é que me fala mais sobre o processo de fazer uma pessoa acessar um sentimento que é ruim e que socialmente obviamente não pode aplicar mas é legal ela acessar aquele sentimento para a arte é porque é isso é uma arena né e a gente está protegida a gente tá aqui no estúdio gravando tem câmera a gente tá no sentado a gente não posso sair correndo que nem louco aqui gritando tirando a roupa né Isso vai ser contra o padrão do que a gente tá fazendo então o teatro é a mesma coisa eu tô protegido ali pelo pelo que é técnico é igual beijo né eu tenho muita controversa com um beijo técnico por abelha beijo tapa e tapa O que é técnico para mim a situação em volta a beijo o técnico é o que não tem língua por encostou a boca na outra vejo você vai porém língua é uma questão do diretor pedir eu quero mais língua porque se casaram mas é mais é mais Caliente é mas é um som amantes são fugitivos da polícia e o corpo a relação corporal é mais forte mas você vai ter língua agora beija beija o cara encostou a boca na outra veja o que que é técnico para mim no beijo Só pulando um assunto é o time volta a gravando eu não tô fazendo aquilo porque eu tô afim que eu tô com tesão na atriz eu tô fazendo aquilo porque eu tenho que cumprir uma cena uma direção quando eles vão me dizer beija vamos dizer para de beijar isso para mim a técnico entre o ação e o corta o que tá dentro a técnico e o teatro é a mesma coisa a gente se protege vai para uma sala de ensaio prepara aqui vou durante um tempo depois coloca no palco mas eu tenho que saber a hora de entrar é hora de sair não é só acessar o assassino que tem em mim é também sabe a hora de entrar é hora de sair isso é o principal no jogo cênico dos atores porque tem gente que entra não sai e aí aí acontece eu nunca aconteceu comigo de uma forma tão tão tão estranhamente em controlável né mas acontece Principalmente quando a pessoa abre a porta para poder praticar esse jogo no início é mais complicado que vira um cavalo um cavalo Indomável né a pessoa quer ela ela tá tentando Alice entender é lindo também quando acontece porque O que é uma prova de confiança entre o ator eo mestre cara tá ali para dizer me ajuda mas não tem também como você eu já fiz um psicopata no teatro eu como ator tem feito coisas mas eu não tenho trabalhado tanto como ator por conta das outras funções que eu existo mas eu fiz uma peça que era baseada no livro do Rafael Montes chamado Suicidas Raphael Montes é o autor do Bom dia Verônica essa série da Netflix na net eu não vi ainda é uma série pesadíssima é o universo Rafael pesadíssima e eu adoro o Rafael é um escritor um autor e escritor brasileiro carioca jovem também que conseguiu abocanhar um público de adolescentes que que tá a fim de consumir literatura de terror e horror né então o primeiro livro do Rafael chamado Suicidas é sobre um grupo de nove jovens da Elite carioca que se reúnem no porão para fazer roleta-russa e eu fiz um desses novos jovens na adaptação de E aí você fala pô mas quem vai querer ver 9ba adolescentes se matando no Theatro Pedro II a gente ficou em cartaz dois anos nós fizemos cinco temporadas 3 em São Paulo e duas no rio da peça e era para ter mandado uma cesta mas aí eu falei não para mim já deu porque o personagem tava não porque eu já tinha quase 40 anos fazendo um adolescente de 17 não Kong de comer aqui engordar queria pô falei já passou né Deixa eu já né entendo que é legal você pegar um cara mais velho um elenco mais velho para fazer uma peça mais densa mas chega uma hora que foi provocar porque eu tô com 50 anos fazendo um adolescente no teatro né chega fazer esse esse personagem que era e era um cara e eu ia piu Suicidas se tiver alguém que já leu vai saber do que eu tô falando é um livro que pesado que e eu ia fazer o personagem que era o narrador protagonista da história chamado Alessandro quero um cara nerd e que manipula todo mundo com lobo em pele de cordeiro com nós e o amigo dele mata os pais do amigo manipula o carro para os pais do amigo morrer em acidente manipula todo porão que eles fazem a roleta russa ele quase não pega na arma porque ele quer ser escritor ele quer ser um autor então ele registra no caderninho dele tudo que ele vê no porão todas as mortes e ela peça que tem um livro que virou peça que tem necrofilia tem uma cena que um personagem transa com uma cadáver morta cima cadáver já morta deve para deixar mais pesado né ele ele transa com a menina morta é enfim esse cara e esse personagem que eu fazia manipulava todo o cenário tacava fogo nos corpos abrir a barriga da menina que tava grávida vi aquela matava o pessoal com chave de fenda trocavam o corpo de um mendigo mexer com o DNA da arcada dentária para ele poder fugir se dar bem e lançar esse livro do que aconteceu no porão ele ele criou isso só para criar um livro ela ficar famoso Esse é o personagem é para ficar famoso psicopata I will run e eu lembro que nos ensaios foi muito pesado que tinha um personagem com síndrome de down é que era o segundo a morrer e a gente chegou e saia eu cheguei a ensaiar com o ator com síndrome de down depois o ator foi trocado durante os ensaios para a peça estreia no rio primeiro e depois veio para São Paulo e o diretor achou melhor é trocar aqui colocar um outro ator no lugar também tenho a coisa do Down não não distinguir muito a realidade da fantasia a gente ficou com um pouco de medo para de trabalhar em temáticas tão pesadas mas eu passava mal nos ensaios assim porque era muito depois eu acostumei Então você precisa entrar você tem que ter coragem para entrar ter um bom técnico um bom diretor para te amparar e te guiar nesse lugar mas depois fica fica técnico depois que faz depois que você aprende Como é o caminho para o personagem chegar até aquela sensação você entra e sai todo dia no início mais nebuloso muito nebuloso depois ela e disse-me a gente entrava antes de entrar em cena a gente tava rindo no camarim isso aí todo mundo chocado na peça a gente terminava peça rindo a única coisa que era muito f*** para mim é que meu personagem determinava a coberta de sangue e às vezes não tinham tomar banho e era um maldito pózinho que eles trouxeram dos Estados Unidos um pó desgraçado vermelho você passava na mão e eu esfregava no rosto e ele em contato com o suor ele vai pro tando na umas nódulos de sangue assim ele vai ter saindo da tua pele que eles queriam e ser feito eu pegar uma bronca desse negócio que eu não posso nem ver porque ele fica com a pele Rosa depois né ele fica vermelho ele só sai com água muito quente onde é que você vai encontrar água muito quente nos teatros então é era f*** que já aconteceu de eu vir embora do Rio de Janeiro para São Paulo como todo mundo sabe lá no McDonald's ali da do meio da estrada me olhar fala um dia eu cheguei na padaria 24 horas tava com a mão toda suja de sangue assim o rosto Rosa o pão e fui passar o cartão a moça o que que é amor eu falei não ficar tranquilo que eu acabei de matar oito pessoas aí ainda vai ficar aí era eu era fogo para quem não faz a menor ideia de como é que funciona o esse trabalho de ser um personagem a gente precisar esses personagens como exemplo para falar os processos até consegui acessar esse psicopata que tinha que ter a tua cabeça para tu conseguir fazer ele ele tem que existir aí pra mas existem existe porque desde pequena eu sempre gostei né nunca fui uma criança eu gostava de explorar bueiro eu quando era pequena minha mãe me pegava dentro de bueiro assim eu entrava no lado só e no outro hoje que eu tô mais limpinho mas na época gostava do submundo desmontava vídeo cassete Eu nunca fiz nada demais né assim a parte já foi tranquilo e com trás diretora e sacam também sabe lembro que eu fui bater um papo com o diretor da peça ele tinha encontrado o elenco inteiro os oito personagens parece uma caverna do dragão assim ela era bem em Recife os tipos da peste faltava esse meu personagem que estava buscando porque ele queria alguém que ele olhasse bater esse papo e sentir-se que tinha esse psicopata dentro mas quer um cara de bem com a gente tem dois filhos né eu tenho trabalho para caramba né não é que eu vou desviar o meu caminho tudo que ele encontrar alguém que tivesse esse limite né gente que tive né E aí foi para foi assim contra eu já tinha eu adoro meu no meu universo é esse o que cresci vendo sexta-feira Treze é eu sou fã de Tarantino que o bio eu fui ver no cinema na procurei o clube um fui ver no primeiro horário no primeiro cinema que tava exibindo eu gosto desse universo sanguinolento faz parte um pouco tem que conhecer muito sobre a o funcionamento da tua própria psique EA dos outros para conseguir descer nisso aí saber isso é uma parte de mim não sou eu de verdade isso aí como é como é que funciona não aqui se você primeiro que eu nunca quis como ator aí falando Ah por que a fazer isso da arte e teatro principalmente né que a televisão vende pois tal é ninguém vai para o teatro de szayel você diretora você iluminador você vai querer ser ator você só você vai para ser à toa então meu caminho foi esse eu fui para ser ator não é entrei no teatro nesse lugar depois é que as outras coisas vieram e me colocar em outras frentes aí mas eu sempre tive muita noção de quem eu era assim sabe eu sempre achei que meu conhecimento que eu ganhei eu erro para c****** assim né sou ser humano às vezes ou até frio no trato pessoal também eu tenho um monte de defeito assim coisas que eu saía trabalhar um pouco na minha na minha no universo pessoal né no universo privado mas como ator sem lá em algum momento eu devo ter ligado uma chavinha aí de não ter medo sabe de não ter medo eu gosto do jogo quando eu entro no jogo me dá prazer entrar na arena sabe ao mesmo tempo que me dá um medo de não saber o que vai acontecer mas eu tenho um tesão danado hein e outras histórias em em viver outras coisas mas eu quero tentar entender é porque eu acho Será que é o que separa um cara de realmente deixar essas vozes as ruins de Dentro da Cabeça se expandirem e tomarem conta dele fazer ele age no mundo de forma ruim é simplesmente consegui entender que a nossa cabeça Ela não é uma pessoa que a gente tem o que a gente tem várias vozes e o que acontece com um cara que comete uma atrocidade é que ele acha que ela é a voz verdade é igreja em que a gente quer a missão dele que a voz verdadeira que é o que é a Persona dele que que tá falando em primeira pessoa mesmo Alina eu nunca quis fazer coisa bonitinha nunca quis tá na na capa da revista eu nunca quis eu venho de uma época eu comecei a fazer teatro 96 então eu vendi uma época que não tinha ainda a rede social não tinha ido esses lugares né nessas plataformas de trabalho bom então a gente tinha ali o teatro EA televisão principalmente a TV Globo Como como é máxima de Sucesso era fazer uma novela na Globo mas eu nunca tive esse esse objetivo Eu nunca fui assim nunca nunca persegui esse lugar Nunca foi o meu então eu sempre fui mais dessa cena underground mas não no sentido literal da palavra mas de buscar personagens que tomei me ensinar sempre quero ver você fica muito preso nesse padrão e ele aí ele é um círculo vicioso assim você sai do lugar e cai no mesmo e eu sempre gostei de perseguir esses outros lugares assim tanto que assim eu nunca quis cair na Globo nada perseguir a novela das 9 horas por exemplo e hoje eu tô escrevendo para Globo né então eu entro Eu entro como roteirista em aos 40 anos de idade então que eu nem sabia se eu podia falar mas é um furo aqui f***-se vemos um mas é isso sabe então eu tô conseguindo eu entrei de 1 g é de mais tesão que é como roteirista em recriar as histórias eu tenho o poder poder uma palavra horrorosa mas eu tenho o poder de decisão de criar e um universo Não em vez do universo você me oferecido pronto eu sempre gostei dessa inversão sabe vir atrás do mais difícil e não e não do que tá ali pronto na bandeja além de tudo é ator diretor o que que é um aqui de um dramaturgo é uma pessoa que escreve para teatro tão excessivamente escreve peças todo faço tudo no meio das artes cênicas é eu devo só não faz iluminação já fiz em uma essa figurino cenário Essas funções técnicas luz que figurino cenário quando não tem verbo quando tá temos um espetáculo muito rápido eu faço também por uma questão de Economia ela tem uma noção mas não é uma coisa que eu que eu assine profissionalmente alguém me chamar eu não vou fazer porque eu queria te perguntar sobre a sobre a escrita tu escreve bastante escreve peças não lembro os olhos é que tu aprendeu sobre a criativa o cérebro a cidade como é que isso funciona o que como é que ele tá com bloqueio criativo como é que se faz para sentar e escrever tem aquela voz que diz não vai não escreve é um treino é uma me perguntando isso sempre assim é um treino é um treino no teatro Geralmente eu consigo ter um prazo diferente da televisão é o teatro é uma coisa que às vezes eu tenho argumentos guardados tem muito argumento guardado né coisas que eu vejo recordes eu tenho caderno argumento é o que é uma ideia né de repente uma ideia para uma história é uma ideia para uma história Então eu tenho alguns argumentos guardados que ainda não estão prontos para ser desenvolvidos mas eu guardo e eu escrevo um recorte de jornal esses dias eu vi uma história que eu achei Fantástico um senhor uma pose um cara que que estava para se aposentar e ele foi na tentar se aposentar ele descobriu na carteira de trabalho dele que ele tava registrado como presidente da república eu achei isso sensacional eu tô querendo agora eu comecei a criar um argumento desenvolver de um cara que de um senhor de idade que vai fazer e descobre que ele está registrado como presidente da república exercer e ele cria o ministério na própria família mas eles não entendem de nada então uma ideia que eu vejo as vezes na televisão e me dá dá um argumento para eu guardar e aí eu tenho um caderno que uma nota todo mundo certinho tudo muito correto computador então tem que ter uma disciplina e o teatro o teatro ele permite se você não tem um prazo muito aliás errado você consegue geralmente escrever textos e deixar eles ali amadurecendo na TV é diferente né tô trabalhando tô trabalhando agora no desenvolvimento de um seriado e a gente trabalha 8 horas por dia né hoje eu ainda tenho que entregar que ser lida com prazo eu tenho que entregar duas correções de da escaleta de um episódio de duas cenas isso vai e volta não dá tempo Às vezes o soro neste pede eu quero uma ideia para isso aqui você tem que desenvolver não dá para esperar a voz né não é um saco agora eu vejo muita coisa E aí no vídeo muito filme Eu leio menos do que vejo eu vejo mais coisas então eu fui criando também o repertório né ao longo desses anos de ter material aí guardado mas a disciplina de vez em quando está no com uma equipe eu acho que é mais fácil de se impor uma disciplina de eu tenho que escrever porque essas pessoas dependem do meu trabalho também mas quero ver sozinho como é que é aquele também coloco Eu também coloco as vezes eu sento ou cento todo dia às vezes por uma hora uma hora e meia quando eu não tô trabalhando efetivamente com com prazo né quando eu tô com prazo isso varia não tem dia mas quando eu não tô só é uma história uma peça que eu vou escrever ou aí eu sento pelo menos por uma hora uma hora e meia por dia nem que não sai nada mais um ponto Vou colocar ali na página ela sair do lugar o senhor briga era por aqui é um dia não tem muito tempo Acho que tem uns dois anos porque a coisa da escrita ela vem lá de trás é uma das primeiras atividades que eu fui desenvolver e eu me lembro de dieu com 10 12 anos eu eu eu sou muito organizado na minha casa assim você vai em casa não tem nada fora do lugar mas você abre os armários tá tudo fora do lugar então pouco a minha cabeça né de por fora pareço uma pessoa aquele brada tal e articula Por dentro estou pensando mil coisa eu tô essa bagunça organizada Eu lembro quando eu ia eu sempre fui desde pequeno e minha mãe ô mãe eu tava escrevendo uma rádio novela eu voltava minha família para gravar eu fazia rádio novela com Trama subir Trama capítulos às vezes 30 capítulos divididos por dez cenas tinha ali já uma uma estrutura que eu nem sabia como era mas que ele inventava eu nunca me esqueço de uma vez a minha mãe que disse você não arrumar as coisas eu vou lá e vou rasgar tudo que é teu filho e eu não arrumei Porque para mim era aquilo mesmo eu não preciso arrumar tava arrumada bagunça para mim era organizada e ela achou e rasgou a picou Aquilo em quatro partes Eu lembro que eu fui peguei do lixo e colei página por página é aquilo para mim foi uma ofensa então é e escrever se tornou algo profissional em 2014 durante muito tempo eu adaptava coisas que eu dirigia mais escrever escrever escrever é algo jovem na minha carreira artística mas eu lembro que algum momento aí de uns três anos para cá eu lembro que eu bebendo no bar no boteco essa coisa de se ela depois do da Quinta do quinto gim-tônica você começa a falar umas coisas são guardadas né e eu lembro que eu disse assim se eu pudesse eu ganharei a minha vida escrevendo não ia fazer mais nada não sei o que de repente isso veio para se transformando né E hoje é uma profissão né remunerada é uma professora Eu amo dirigir Eu amo da aula e eu gosto muito de escrever sabe porque se você tá ali no teu ambiente controlando universos assim assim que eu me vejo e isso virou Então hoje eu falo por não dá para reclamar não posso não ter disciplina é super Clamar e já é bem natural sentar e escrever porque eu não deu não consigo eu tenho muita dificuldade eu vou que eu e eu comecei a ficar meio meio que usam assim porque eu comprei uma bandejinha dessa de café da manhã e eu já começo Agora tô sentado na sala vendo televisão e bota a bandejinha e já tô eu já consigo escrever e que bater papo assim interagir com as pessoas eu fui criando umas maneiras de fazer as coisas ao mesmo tempo e como é que tu como é que tu liga que eu não sei se tem isso Tá parecendo que não parecia todo mundo natural e se inscreve lida com a com julgamento das próprias ideias é eu sou chato com isso eu reviso muito eu gosto de texto impresso Eu sei que não é Politicamente correto mas é ecologicamente correto na verdade mas eu imprimo os textos para ler eu cá Neto muito eu não sou aquela pessoa que escreve com a segurança de que aquilo é excelente muito pelo contrário Mas você escravas não trava Porque eu entendi como é que funciona o meu desenvolvimento como é que nós vamos aí é como vou aí aqui tá ruim acho que é isso que tá aquele cara não falaria aquilo porque o que é o que é f*** quando você vai criar alguma coisa que você tem que pensar com outro falaria como é que se fala como é que é o temperamento desse cara como é que o temperamento do outro como é que ele quando ele se encontram não é assim que acontece quando eles se encontram bem que um quer esconder o quê que o outro quer falar então isso precisa de revisão e eu te eu entendi que eu tenho que que aqui imprimir é riscar e eu risco muito assim até a versão final eu risco texto para c****** assim ó é um trabalho bem ardo né no teatro só que ele é ele é algo é teu então as escolhas que você faz elas são de responsabilidade tua não tem ninguém criticando julgando é o teu alto julgamento tempo inteiro né na televisão é diferente o que tem uma equipe uma equipe Hoje nós estamos em três roteiristas mas o sol Runner que é o cara que idealizou o conceito da série então você tem ali o episódio que você geralmente abre e tem pessoas ali e descascando lenha no que tá bom ele que não tá então aquilo vai e volta um montão assim você tem que ter consciência de que também não é tio o teatro te dar um pouco a ciência essa sensação de que um filho teu né Mesmo depois que tá pronto você não sabe quem vai montar mas não primeiro momento aquilo parece só teu na televisão diferente aquilo além de ser de uma equipe e pertence a uma emissora e aquilo vai para algum lugar né O que vai atingir é muito maior e aí você não tem que ver tem que tirar esse essa impressão de que parece que estão julgando você e não que você tá querendo contar né ela querendo contar pode ser contada de Mil Maneiras isso é uma coisa que é muito difícil que nas aulas de teatro e quando a gente estuda isso é recebeu o feedback e não levar para o alguma confirmação de que tu não presta para aquilo e se manter tranquilo e aceitar a ideia e consegui expandir a tua para caber muito cuidado eu tenho com esses não ela dá para falar não para as pessoas véi eu tive uma e assim eu comecei a fazer teatro 2016 fala isso em 96 eu fui teatro eu morava no interior e e não tinha acesso a nenhum tipo de cultura que não fosse a videolocadora os filmes do Van Damme os filmes de ação Bruce Willis era o que a gente assistia e Jason sexta-feira treze eu amava né gosto até hoje é E era uma coisa louca porque quando eu fui estudar teatro e começa uma história muito maluca porque o lugar onde eu estudei de jato era uma casa onde eu tinha morado eu me matriculei numa escola quando eu cheguei eu falei carai eu morei nessa casa com 4 anos de idade tem ali uma sensação maluca de entender que espaço era aquele é tem isso né Tem esse lugar da do não eu lembro que assim que eu entrei na escola de teatro eles indicaram a gente para fazer um comercial e eu e um amigo meu gente era muito jovem tá e o menino bom para c****** assim desenvolve e tal eu não lembro o nome dele Nunca mais ouvi mas a história dele me marcou porque a gente foi e se água lembro que o diretor não gostou da gente descascou a gente quem mandou vocês aqui versão né não sabe se ficar naturais na frente da cama a gente não sabia mesmo tinha dois meses de teatro né mas tudo bem E eu me lembro que aqui se não para ele pesou tanto que esse cara sumiu do teatro eu nunca mais vi e podia ter sido eu né então quando eu me lembro desse lugar aí de início desse não que a gente levou eu levei mais um monte de não né Depois disso leva o tempo inteiro não eu eu consigo separar é óbvio que tem aqueles que dá que pega sabe que que fala p**** ou essa pessoa não entendeu ou do eu e tá tudo bem Eu sempre falo melhor remédio para frustração são 12 Horas de Sono você dorme que você acorda melhor tu já teve algum problema tudo identifica uma dificuldade nessa geração de agora de ouvir não é uma geração mais sensível guerra houve falha e é maluco né Às vezes eu era hoje a gente está numa geração de a gente grava a selfie e a gente edita bota filtro sou eu comigo mesmo vendendo que eu tenho de melhor né a tua bonita aqui na praia não que seja a conta eu adoro ato não sei o que a gente hoje consegue antigamente a gente tirava uma fotografia tinha que esperar revelar para saber se a fotografia queimou ia ficar bonita se eu pisquei eu tinha às vezes 2012 24 ou 36 poses num filme da Kodak ou da fugir né tinha todo um processo para as coisas acontecerem você tirava achando que tirava qualquer fotos escolhia na viagem onde é que você ia tirar então é aí tinha que esperar a revelar era uma loucura assim a gente lidava com ansiedade de outra maneira assim aí com o advento das redes sociais a tecnologia que eu acho uma benção ficou tudo mais instantâneo as relações foram ficando instantâneas E aí acontece também que a gente não consegue mais ouvir né a gente não pode resolve problemas por áudio de WhatsApp eu não quero nada com você mais eu mando um áudio para você e te bloqueio então eu confronto eu não dou chance de resposta eu te bloqueio da minha vida isso parece que não Pedrinho mas vai levando as pessoas e os atores principalmente a criar em Barreiras para você poder chegar nele sabe a primeira coisa que a gente chega não não não não é muito saudável é muito saudável porque eu não não é como não é um não é uma negação ou não é simplesmente não agora não tá bom agora não não não é um definitivo nunca foi e eu acho que que os jovens atores que tem toda a ferramenta o a câmera para poder se gravar às vezes um canal né que faz bom uso disso ao mesmo tempo criar ali um uma resistência né porque se alto dirige escolhe o filtro escolhe o ângulo Então quando você vai fazer um trabalho com ele já tem essa dificuldade você quer ver tirar foto de você vai tirar foto de Espetáculo hoje o dia todo lá e o ângulo que o cara sabe que ele vende melhor o cara quer ver foto por foto para te ajudar a escolher um inferno sabe o cara eu falo assim tá querendo vender o que você bonito ou personagem que eu tô querendo contar com a peça Então isso é uma espécie de não sabe então nas pequenas coisas eu sinto que os atores estão tão mais fechado sem nessa aceitação né antigamente era era era mais essa fazer uma crítica é um feedback era mais fácil era era mais aceitável se ela natural do que hoje porque nunca fez teatro não sabe o que a gente se expõe expõe muito ao ridículo e a gente se expõe o julgamento de todo mundo e é um lugar que corre muito risco de travar esse tua viu uma opinião tu pode ficar traumatizado acho que deve acontecer acontece Só que eu nunca fui o cara da crítica taxativa eu não gosto eu me sinto mal se eu tô com outro técnico que faz isso né que vem com o pé no peito assim eu nunca fui até porque faz parte do método que você e no começo do nosso papo né eu preciso que a empatia com o ator Eu nunca fui esse cara aqui que chega desentala m**** isso nunca fui tocar mas existem muito muito muito muito é a coisa tá mudando um pouco né porque a coisa do diretor que tá com a sapato tá virando agora assédio moral é isso que eu muita gente que tá com essa pato tem né gente quê que foi embora né então a coisa saiu das questões executivas das empresas e também chegou no teatro né chegou nas emissoras a coisa do assédio moral que é muito pesada e não deve ser feito mesmo porque é um ser humano que tá ali então eu tento quando eu vou fazer uma crítica eu nunca por exemplo eu nunca fico de pé e deixa o ator sentado Eu sempre fico de igual para igual eu chego às vezes vou falar com ele eu pergunto que você escolheu esse caminho nós vamos tentar por outro porque cara é um grau de Exposição que pelo fato do também será dor eu entendo eu entendo e a gente faz para estar ali sabe as o nível de Exposição coisas que a gente tem que romper então eu não sou esse cara né Eu não sou esse cara que vai chegar com o pé no peito não nunca fui nunca nunca aconteceu alguma história de quando tu ainda não tinha essa noção de que que tem que ter se esse respeito de ter um quebra-pau contigo com algum ator nunca aconteceu esse tipo de coisa eu já tive né já tive discussões com a toa já tive problema tem muita gente que às vezes que tem muita gente que me odeia e eu não sei porque é porque e é uma coisa muito louca assim quando você passa da hierarquia de ator para diretora é algo que parece que diz o dever ser dito é você não é mais amigo da Galera entendeu Não adianta você querer sair depois para o bar O diretor não é uma figura bem vinda Não é não o diretor é um cara que fique precisa entender esse lugar quando você vira diretor óbvio que você vai que você sai mas você não é da galera Às vezes a galera vai precisar fala mal do diretor para poder tirar uma sensação que eles estão né então não você não pode você não quiser e você nem deve ser da Galera porque também dizem eles confundem então é um lugar que quando você assumir você também compra essa briga de você entender que você vai ser amigo você vai ser legal mas você não pode estar junto o tempo inteiro porque isso desgasta a relação quando chega no na hora do vamos ver de trabalho eles confundem né os dois lados confundem agora até agora às vezes você fala mesmo dizendo com carinho para alguém a pessoa vai construir na cabeça dela a maneira que ela quiser ir a isso pode levar um outro lugar uma dor um outro não que aquilo que está por outra coisa agora tem que ser dito também né eu sempre digo para as pessoas e é quando eu vou dar aula já aconteceu né eu lembro uma vez que que eu mato um ator um ator chegou para mim eu tava fazendo um musical E aí um ator chegou para mim você puxa Você devia ser menos rígido com a fulana porque ela passa o dia inteiro no trabalho das 8 às seis ouvindo bronca de chefe E aí ela vem para cá né porque era não aqui é um lugar de alívio para ela um lugar que ela quer se sentir feliz que ela quer né Aí fica ouvindo cobrança cobrança cobrança eu falei para mãe quando ela chegar aqui ela chega no meu trabalho né mas quando ela chega aqui ela tá chegando no meu trabalho então assim não tem que entender esse lugar também né daí eu sempre falo pessoalmente escola e se você não tá pronto não queira pretiar um personagem grande porque eu vou exigir de você né então vai naquilo que você pode mas todo mundo quer contar fala quer saber quanto tempo o personagem aparece tá em um erro né o aspirante a ator um problema que deve o zíper tá lidando com os sonhos de pessoas e um sonho muito específico para as pessoas que querem trabalhar com isso então deve ser uma coisa pessoa Ouvir um não acho que isso deve gerar nela um um desespero depois que era meu sonho e tipo não é vida não é como um sonho de sei lá fazer outra coisa é um sonho muito específico não sei explicar em palavras jeito que tem uma Vibe um pouco diferente na em escolas de teatro e atores que é um sonho muito específico muito concorrido e muito difícil de chegar então talvez as pessoas têm um pouco de dificuldade de vez Estamos por causa disso né É É isso ele se está lidando com o sonho expectativa né são duas coisas malucas assim porque o sonho é uma projeção daquilo que você gostaria de ser ou ter EA expectativa é aquilo que você quer que aconteça logo dentro de uma dinâmica muitas vezes você não faz nada para concretizar seu sonho você não dá nem um passo que aconteceu Olha o tamanho do que você projetou parece muito distante você quer o teu colo EA expectativa é que aquilo tudo que você projetou e não quer correr atrás aconteça logo isso é mais difícil você lidar com as pessoas entenderem que tem um passo-a-passo que tenho tempo para as coisas acontecerem que tem um tempo natural e orgânico sabe na vida de todo mundo e o ator já quer fiz um curso de seis meses acho que eu tô pronto tá pronto sabe como é que não está pronto né estudar você vai estudar tua vida inteira a tua vida inteira mas chega uma hora também que você tem que entender Sabe tem que ter a tranquilidade a humildade para entender que que leva tempo que é uma é uma um encaixe né as coisas são encaixes assim você precisa da sorte ao mesmo tempo que tentar no lugar certo as escolhas que você faz os trabalhos que você escolhe fazer os nãos' que você diz que são só não leva não está me diz não muito porque tem muita coisa que aparece para você que é estranhíssima né então é também você nada muito você tá muito não também a cuidar Artes são as pessoas mais ansiosas que não sei se existe existem mas são umas pessoas muito ansiosas a sabe o que que eu acho que sim porque elas podem mostrar né Eu acho que não corporativo as pessoas estão debatendo Homero Neto eu sempre digo é um chefe invisível você vai numa multinacional Você não sabe quem é o chefe ele tá invisível mas existe um chefe acima de você que é quem cobra você das metas que você tem que bater então é um universo mais formal cheio de regras né E aí as pessoas não conseguem ele deixar ansiedade enrolar no teatro ansiedade é bem-vinda né você vai lidar com esse Sensações todas E aí eu acho que isso já era né as pessoas ficam mais íntimas tá vendo ali o pior eo melhor do outro então parte de uma de uma relação comunal entre as pessoas que é mais fácil você se mostrar também né É o que eu aprendi o que eu aceitei o que foi muito bom porque eu sempre procuro o teatro eu sim e não que eu quero ser ator não tenho essa ambição Mas porque é sempre um lugar muito bom de se auto conhecer e conhecer as várias vozes que vem na minha cabeça e mais importante tudo que eu sempre aprendi nos cursos que a sua profissão que eu aprendi nos cursos aqui tudo que eu sinto é válido e eu aprendi a não não não precisa ser aprendida perfeitamente mas quando eu faço o concurso eu entendo que eu não posso reprimir nenhuma sensação o que as pessoas ali naquele ambiente elas estão aceitando tudo que tá acontecendo tem bastante isso muito é um caldeirão né até a julgar o outro é importante você entender que é saudável dentro desse lugar porque é quando você reúne muita gente diferente dentro de um ambiente óbvio que você vai tentar descobrir quem é aquela pessoa né No primeiro contato que olha quem será que aquele ser humano que está por trás daquela casca like que ele pensa que ele sente o teatro provoca isso né E tem exercícios que eu fiz exercício uma das atrizes da turma que você fez aquele do que você tá sentindo aí eu mandei ela sentada na minha frente e um exercício que é um desdobramento desse da memória emotiva Como é que é o nome desse ele é um exercício que Eu batizei O que que você tá sentindo é isso não é porque eu sento em uma cadeira uma mais ou menos como a gente tá aqui um ator na minha frente e eu pergunto o que que você tá sentindo depois eu tenho que me falar e geralmente ela ela conecta com questões mais Racionais né e eu mesmo tempo ela não quer falar o que ela tá sentindo Ela tá dizendo uma coisa mas o corpo tá dizendo o outro aí na verdade eu tô dizendo só quero saber isso não tem uma provocação já aconteceu de gente falar eu quero jogar um café na sua cara eu quero te dar um murro dia então faça isso se você está sentindo faça para ver se a pessoa e depois quando eu vou explicar o que é né E na verdade era para entender como é que tá sua temperatura sua relação com as costas e tá dolorido Como é que tá a sua respiração e isso vai te levar a uma sensação específica de nervoso de medo de ansiedade né de e impressionante como e as pessoas começam soltas vão para uma casca e depois saem da casca é um exercício que eu acho bonito assim e muito precioso chamou muita atenção leva até hoje desço aí para quem não Obviamente as pessoas estavam lá na pra quem tá ouvindo ele pegou uma das colegas que que tá fazendo esse curso junto colocou na frente e perguntou simplesmente o que que tá sentindo isso até primeiro e a pessoa começar a enrolar conversava se engasgar e chora e chora ela passa por tudo isso acontece normalmente acontece tipo noventa porcento das pessoas têm uma bola e por que que o ser humano tem dificuldade é porque aí é engraçado né e a primeira coisa que você faz todo o curso de teatro é quero me mostrar E aí na hora de mostrar no mostra porque a gente fica com expectativa a gente fica com medo a gente não confia a gente não sabe onde vai dar a gente não né Eu acho que o teatro também é um subterfúgio para a gente enxergar a vida de uma outra forma a gente que bebe tem gente que usa algum tipo de droga para e refúgios para se conhecer o teatro ele é um subterfúgio poderoso para a gente se encontrar né Muito Então eu acho que que esse exercício mostra na verdade um pouco da parede que eu vou encontrar ali né que o ser humano diz que estádios por todo exposto só tu verbal Petry a gente já acerta coisas não-verbal que ele nem lembra sabe o problema é o acordo físico é aquilo que eu junto uma coisa com a outra esse exercício que tu pergunta o que você tá sentindo isso aí tu faz para conhecer o perfil daquele ator é isso é na verdade para mostrar inclusive do grupo não exercício que funciona para quem tá fazendo porque ela tá tendo a experiência de sentir isso né e a importante você vê como como dar para o ser humano passar para vários lugares e para que o grupo entenda um pouco o meu método que é um método muito humano que é um método que eu não vou ficar pegando no teu pessoal né Eu não quero saber que o pessoal minha pergunta não vou perguntar e aí que que você comeu ontem que você e eu não quero saber a tua vida eu só quero saber o que que você tá sentindo e acessa o que que você tá sentindo a Universal você pode tá sentindo ódio agora e eu vou direto pô deixa eu sentir óleo também o meu ódio é um motivo do teu áudio diferente do meu mais ódio ódio né então eu quero mostrar para o elenco o meu método como é que eu vou abordar um pouco os personagens eu gosto de conversar quando eu pego uma cena gosto de entender aquele ser humano e muda você fazer um personagem e outro ator fazer o mesmo personagem muda o discurso o argumento né que é o texto a forma de argumentar é diferente é o que eu falei fazer uma peça com 35 anos de idade de um psicopata Eu entendo já passei por várias etapas da minha vida não eu vou abordar diferente do que um ator adolescente abordaria né então de repente o ator quis um cara Mais maduro Tem situações que eu já passei na minha vida que eu não vou exagerar a dose né porque eu já conheci o exagero dela e sei que exagero é sempre muito piegas e é igual eu tava te falando do Choro então a experiência de tá vivo faz a gente melhor ser humano e melhor ator esse exercício tem como eu te replicar agora Ah mas aí você vai você vai estar consciente de fazer tem que ser feito no outro ambiente se eu tivesse falado tinha começado com ele constante link sentido sabe você sabe Você já tá se arrumando você já tá entendeu já Vá se preparando e ele é ele foge disso tem que tipo assim Então pessoal reunido Senta aqui na cadeira eu nem sabe qual é quando você não sabe o que vai acontecer aí é um exercitar depois eu posso fazer de novo mas tem que dar um ambiente propício para isso né você se arruma sala geralmente você faz isso no começo porque a pessoa tá chegando de um lugar você vê que quando a gente chegou você chegou eu cheguei logo depois né ele tava arrumando isso tudo tava um outro clima agora a gente já tá solto aqui né gente já Dominou a nossa energia dominou esses Passos Então tem que ser um exercício de início o que que ele vai sentar energia no exatamente Esporte Tem mais algum tipo de exercício assim interessante que tu bolou que tu criou para conhecer o Personal eu tenho tem bastante coisa assim eu trabalho bastante com papel Pode parecer tem atores que falam a isso é muito didática eu digo porquê Não porquê olhou de batismo nos ensina a chegar em algum lugar que eu uso muito papel eu gosto que às vezes os atores inscrevam coisas né e bota no papel Sensações a respeito de um personagem Tem coisas que eu vou querer ele tem muita coisa pasme que eu vou criando na hora assim eu vou elaborando na hora de acordo com que eu sinto que a cena precisa e coisas muito simples assim coisas que eu tenho a mão não quer nada não quer nada elaborad cima nunca é a diminuir a luz bote não sei o que coloque uma luz vermelha nunca é porque eu preciso que o ator e entenda que a gente consegue se conectar de uma forma mais simples sabe exercícios por exemplo eu não lembro se você é e recorda mas muita coisa que eu pedia para galera não fechar o olho faz o olho aberto faz Júlia aberto porque você fecha o olho você entra em contato com uma outra dimensão você viaja você sai dali né eu não posso na entrevista ao seu dinheiro fechado eu vou imaginar que eu tô em qualquer outro estúdio menos aqui que as pessoas tendem a fechar os olhos ainda terminadas época é mais confortável né é assim eu vou dar um exercício Então você começa a pedir algum exercício de corpo de movimento a pessoa Fecha o olho para ela poder se conectar porque é difícil olhar o outro né Vou ter vergonha ou outro me atrapalha porque eu vou me influenciar pelo movimento do outro mas eu tenho que entender que eu tô aqui agora pé no chão e olho aberto eu tenho que me acostumar com isso o teatro não é só a prática não só de um exercício teatral técnico mas como de um exercício teatral que seja uma peça né que a gente tá ensaiando e vai apresentar ele acontece aqui ele é aqui agora Terra é verdadeiro tem que ter controle dele não dá para ser uma E aí eu não sei quem eu sou eu entrei na outra pessoa tem outra pessoa nenhum amigo se alguma tu vem falar isso para mim aí eu fui tomado por uma outra pessoa você vai para outro lugar e não é teatro eu não gosto disso uma vez Pedro estava fazendo uma peça caiu uma lente de refletor de lâmpada par e a lente de lâmpada aparelho é dessa grossura e ela caiu ela que ela começou a ficar pendurada né começou a ficar pendurada pendurada pendurado e a gente tava em cena e eu nunca me esqueço que não era marca eu vendo a lâmpada pendurada vendo a lâmpada pendurada chamando a tua vem cá eu quero falar com você porque ele não era a marca né vem cá eu quero falar com você e eu lembro que o cara não veio eu fui lá que até o cara pegando fez então eu quero falar com você pop espatifou a lâmpada no chão as pontas assim é um jogo vivo imagina se o cara acho que eu tô querendo brincar com ele tá se não vou porque onde vai falar alguma coisa que eu namoro a lâmpada que vai cair na tua cabeça então tive que ir lá e puxar o cara então assim não dá para entrar numa dimensão achando que eu sou outra pessoa naquele momento porque eu tenho que o cliente são os dois caras ali o o artista e o personagem um do manipulando outro quanto no palco porque eu tenho bastante isso quando eu tô no palco fazendo stand-up eu fico batalhando com a minha voz consciente com a minha autoconsciência que às vezes ela aparece e ela me observam fazendo aquilo eu travo sempre que ela aparece o trava tem isso no ator ou que para mim eu sinto que não está tem que ser coisa fluída tem que estar presente no momento falando as coisas olhando é quitado e às vezes aquela voz assim olha o que está fazendo não é normal se você quer batalhar por uma fala melhora uma piada melhor você acha que foi ruim Às vezes você tá num dia que não é legal né E aí você tá as esse ou esse Esse ver de forma c****** que eu tô fazendo isso que que bom vamos lá vão acontece e não é ruim não não não porque eu tô se você ainda não é ruim ainda mais se você se você tem noção disso né porque essa é humano né não pode trabalho mais legal do mundo e você sabe o tesão que é subir no palco Thalia entendeu vendo divertindo as pessoas porque a gente trabalha para isso a gente trabalha para entrar o e mesmo assim tem gente que não gosta de trabalhar no final de semana para você artista e não gosta de trabalhar de final de semana mas eu acho que a gente tem que entender que esse aqui agora é importante que tem dia que a gente tenta se desligar um pouco mais volta Esqueci qual era a tua tu acha que o que a gente trabalha para os outros ou por nossos plastrao não é uma via de Mão Dupla né Mas eu sempre gostei muito de entender que assim o cara que saiu de casa é ele escolheu tá ali né O cara que vai no teu no teu show o cara não tá indo no cinema que ele pode ir em qualquer cinema em qualquer horário se eu perdi a sessão das duas eu posso na das quatro não sabe eu quero escolhendo o teu show mesmo com chuva o cara tá cara o cara tá indo te ver ele quer consumir aquilo que você tem para dizer né então eu sempre dou muito valor a isso a pensar nessa figura que saiu de casa naquele dia porque a gente não dá para escolher outro horário eu não posso ir em outro shopping é acontece ali com uma figura viva então eu paro e dá muito valor ao cara que vai agora uma vez o cara estando ali também tem o meu lugar ali de atleta né daquela figura que está se exercitando como artista mentalmente e fisicamente ampliando igual dirige avião piloto avião quanto mais horas o cara tem de voo mais experiente o cara fica o qual que é a mesma coisa né então o óbvio que também E aí começa a servir a uma via de Mão Dupla né para o público mas também tem um lugar ali de falar c****** que delícia que é isso aqui tanto que quando acaba parece que a gente tá nesteziado eu tenho da da opinião a minha opinião aqui é só para mim eu não eu sei da onde vem a vontade de estar ali eu sei que é só entrar uma meu só a vontade de agradar e eu também sou pack nisso não penso muito na massa começa a pensar assim mas é isso que eu tô falando é de bom-mocismo não é não é esse lugar de vó que lindo o público saiu de casa não é real é só o quanto é difícil reproduzir o espetáculo o quanto você tem que pagar Às vezes uma pauta cara é o lugar entra em parceria com você o quanto é f*** você ter culhão para apertar e uma temporada seja de um show de stand-up um espetáculo Seja lá o que for então quando alguém escolhe assistir você é É fala você fala p**** o cara escolheu sair de casa na sexta-feira 7:30 da noite Sabe da sabe Deus Da onde o cara vem eu quero está sentado aqui pô legal né legal então deixa eu fazer minha parte sai motiva a me motiva Demais dá mais sabendo que eu saí do c* do mundo das e dor é uma cidade que chama chama Pirapozinho tem 20 mil habitantes é do lado de Presidente Prudente a minha família mora toda lá ainda eu vou para lá e a placa do meu carro é de Pirapozinho Pirapozinho não tem semáforo na cidade viu 20 mil meu todo mundo se conhece lá pela profissão do outro então é o Fulano da locadora a menina do açougue o cara da farmácia Aquela que mora perto da igreja é assim que as pessoas se conhece então eu falo não assim é preciso ter O que é preciso entender um pouco esse lugar onde o porquê que eu tô aqui é que isso me assusta quando eu penso nisso para o cara saiu de casa para mim ver mas ele fica mais eu te dar uma uma uma travada não tá mas se diverte um pouco é legal também tem muita dificuldade de me divertir com calma daí você dá esse p**** que signo que você é leão eu mas é leão com ascendente em que cessa eu não sei tá era o que o leão é bom você vem com o leonino Você Adora aparecer você tem que já tem o podcast você ter você faz show que você gosta de aparecer você gosta é sim não tudo bem talvez tenha aí uma coisa de você eu quando eu cheguei lá não sei se eu quando eu chego em São Paulo eu achava que eu era meio caipira sem no sentido ruim da palavra com a chá caipira caipira coisa mais linda mas assim eu achava que p**** não é para mim acho que eu tô tomando aluguel vou querer pegar o lugar de alguém não no sentido sou f*** não p**** tanta gente aqui que eu vim fazer eu achava que as coisas não eram para mim assim né eu tenho dificuldade de comemorar uma conquista assim quando vem e eu pareço o técnico de futebol assim que por dentro da fêmea assim não não vão embora mas vamos para frente vamos para o próximo eu tô ainda tem eu tenho um pouco de dificuldade de curtir uma conquista aí se eu tenho agora quando eu tô no palco Eu me jogo eu tenho dificuldade de de curtir um bar Conquista assim né de ficar feliz para c****** c****** que legal consegui porque eu sei como foi difícil conseguir então eu fico com medo de não vir outra curta até eu tô com um show no bexiga comer de todo domingo eu fiz Domingos mesmo inteiro eu fiz vou fazer a última agora no domingo que vem e essa é a minha maior batalha antes durante e depois é de pensar cara os cara vieram para mim ver e nem eu confio no meu taco assim desse jeito e aí essa voz autoconsciente ela surge no palco Ainda de motiva a fazer então o que te motiva a volta lá agora no domingo de novo o que que é é tu tem raiva de raiva de eu ter não feito bom da outra vez mas já é uma motivação boa a melhorar é de querer superar tem essa ou é sempre o mesmo você vai mudando então é a base do texto é a mesma né mas eu aí eu sempre volto para casa mas que eu te perguntei sobre escrever sentar para escrever porque eu tenho essa dificuldade eu tenho as gravações do show eu tenho a transcrição do show que um cara faz para mim e eu tenho dificuldade de sentar e ler mas o que eu mudo de um show para outra é talvez Essa ordem aqui dessa piada Pode ser aqui talvez já tá faltando uma piada nessa parte tem que ser alguma coisa para cá então a base é a mesma mas eu vou adicionando ou retirando também tá vendo se não não é uma coisa que sei lá no se você é da tua vida né Você trabalha até o da profissão na uma coisa que você faz por luxo assim eu vou lá fazer um stand up não tem tá aí é só você descobrir assim tirar um pouco esse lugar dessa falta de alegria sei lá de falar Poa vai fazer Vai lá se divertir é eu tento mas o mau humor também legal né se o muro meio ranzinza tá melhor não gosto muito que eu faço também tenho certo charme se também legal é teu não perde também é pois é se der também não precisa também querer né eu alegram e não entendi como é que te move vai também né não tinha também querer mudar da legal isso essa coisa ranzinza meu não sei que eu tô fazendo aqui no me divirto e coisa está engraçado para carai Mas eu eu vejo que chega no momento que eu entendo que sou eu que eu sou esse cara que eu dei as coisas não gosto do que eu faço mas até um certo limite é legal ter mas quando não me faz não consegui sentar para trabalhar que isso acontece eu não consigo ler e para conseguir trabalhar para esse show de a minha namorada teve que me ajudar muito ela teve falar senta e vamos fazer o teu lado se eu tiver sozinho eu não teria feito nada mas daí já uma coisa legal tá vendo ela já te ajuda nesse sentido já diferente do que você fazia você já quebrou um padrão Aí em diante se isso já é uma conquista Já tomei gente querer a gente querer não tem mudança assim eu sou Pinheiro era os 16 anos de idade quando eu comecei a fazer teatro acontece aqui as experiências que eu fui tendo nave o clarão agora eu só vi uma pessoa mas eu fui escolhendo fazer coisas estar com pessoas e isso me amadureceu acho que é isso que interessa não vai mudar as essa casca que veio o que vai acontecer que as tuas escolhas vão te trazer perspectivas novas e isso é o mais legal como é que um cara de Pirapozinho e está sozinha o Sinhozinho Pirapozinho foi parar em São Paulo e trabalhar com artes cênicas porque eu imagino que lá não tem teatro não não tem tem do lado que é Presidente Prudente que é uma cidade maior que foi onde eu fiz faculdade de comunicação na faculdade de comunicação social e tinha uma companhia de teatro que era para todas as os cursos então fechado com gente que estudava medicina Odonto sou tecnia direito farmácia fisioterapia e tinha uma companhia de teatro série cima Em inclusive que foi a minha base porque de disciplina de tudo assim e fui eu fazer a faculdade de manhã Boa noite e foi onde jogou eu entendi um pouco que era algo que queria fazer em meio àquele brava sabe que me dava um tesão assim que era legal eu queria ir teatro eu queria né tá com aquelas pessoas eu queria ler sobre aquilo tá quando eu me formei em 2000 para 2001 não tinha trabalho nem na minha área de comunicação também ela ia ser difícil encontrar alguma coisa assim por sorte eu trabalharia numa assessoria de imprensa numa sólida de comunicação de um de uma universidade de um sabiá as agências eram mínimas as produtoras menores ainda então eu falei olha eu tô com 21 anos de idade não tenho ninguém tô solteiro eu preciso fazer alguma coisa né eu vou para fora do país vou morar fora tá não vou então vou para São Paulo eu peguei uma linha vim para São Paulo não tinha nenhum de dormir na na noite eu cheguei é aí mas eu sabia que eu queria ver fazer né Ia que era tirar 1drt porque eu já tinha uma experiência em teatro eu queria ter o registro deve ter para quem não sabe é o registro tem que ter para exercer essa para ela o número de uma carteira de trabalho como qualquer outra profissão né você vai lá e vai ser carimbado no Ministério do Trabalho como um artista e vai ter um número acho que isso é uma burocracia que não precisa ou é necessário e uma pergunta muito complexa essa eu acho que precisa e não precisa porque eu acho que é uma conquista porque exige o mínimo de dia de estrada né para você carimbar na sua carteira de trabalho que você é artista exige um mínimo de estrada então você pode fazer um curso péssimo de 34 anos você ficou nesse curso péssimo para ter as horas necessárias para tirar o registro entende-se porque se fosse uma coisa que eu vou lá só na e mandou carimbar podia tá podia ser pior né então enfim cheguei em São Paulo fui fui para o zumbi o ônibus aí nesse dia que eu fui para o sindicato eles me disseram ó é daqui uns e vai ter uma porque ela dela toda uma situação eu uso quando eu tirei o DRT tinha uma prova escrita tipo vestibular na época e depois mais duas provas práticas né com diferenças de um mês para um de uma para outra isso ela daqui 30 dias vai ter uma uma prova escrita você quer tentar aí eu falei quero e eu já tava aqui falei bom se eu vim para cá para fazer isso se eu faço uma prova escrita daqui 30 dias e as duas outras práticas em 3 meses eu vou embora e eu tenho esse Dr tempo eu vou ficar três meses fui procurar um pensionato aí e achei uma pensionato ali no Ana Rosa e fiquei e foi ficando aí fui prestei aba banca do sindicato que ele estudar é precisava de um tempo para estudar o material teórico e fui ficando e fui ficando E aí como eu te disse eu fui tendo escolhas fui fazendo coisas depois fiz pós-graduação isso desse o preço da crítica de arte teoria da comunicação que foi me ajudando também ainda dá continuidade a minha formação e não vai galera eu nunca vou e nunca mais voltei nunca mais voltei nunca mais voltei mesmo assim nunca mais voltei naquela primeira noite que ele chegou aqui eu cheguei de manhã ele tem lugar para dormir até achar um lugar aí eu fui achar um lugar você procurar um pensionato levou de ser ligado a primeira votação algum lugar para ver se eu acho um pensionato para dormir eu sabia que tinha também Hotel opção de hotel né eu eu eu eu sou meio Casca Grossa nesse sentido sabe você fala assim vamos plantar o lugar vão viajar é um apartamento Super Legal tem isso tem aqui da gente chegar lá é uma m**** eu vou curtir a m**** eu não vou ficar é porque podia ser mais eu eu não sou desses que esse cara muito macia se tu tinha quantos anos quando chegou em São Paulo 21 Putz 21 anos é novo como é que foi para tomar coragem para pegar as malas e ir para São Paulo Então eu peguei e vim Avisa minha mãe que ia ficar pouco tempo e eu vim depois eu não voltei mesmo né vô o período no primeiro mês eu fico aqui o tempo inteiro falar vou ficar tá falando tudo bem fica eu sempre fui muito honesto nesse sentido eu nunca eu nunca fui aquela aquela vez que eu te falei eu sou um cara no meu trabalho porralouquice mu não sabe disso Torá universos malucos mas eu nunca por exemplo é de trabalho nunca peguei um carro nunca sofreu acidente nunca você dirigir em alta velocidade nunca me envolvi em briga em confusão sabe esse lugar de trabalho para os pais eu nunca fui essa figura nunca fui né Então é eu fico tão desconfiavam mas essa tu ficou algum tempo pensando assim eu vou não vou para São Paulo eu quero ir só que eu vou só que eu não vou é Tinha alguns amigos meus da faculdade que tinham vindo para cá que tinham vindo para cá tentar carreira de Publicidade então bem ou mal já tinha gente aqui tem de sabe é Tinha alguns pontos de apoio Claro que não era para ficar na casa de ninguém eu também tenho todo mundo se virando em pensionato mas o que tinham vindo dois ou três sabe quando vou você não sabe se é profundo se vai pular no mar item pedra o primeiro pura fala pode vir que tá seguro os outros vem acontecer um pouco isso cada um com um objetivo né tiveram alguns que voltaram mas eu fiquei assim e quanto tempo demorou para tu se estabelecer ganhar dinheiro com ar de trabalhar mas demorou demorou muito primeiro que pessoalmente eu tinha medo para caramba de São Paulo assim começava a crescer essa meia eu me enfiava no pensionato não tinha demorou muito assim começava caroço também no trânsito prédio Aí a luz do dia eu preferia ficar no pensionato assim não saía Eu nunca fui de aproveitar abalada de o que também demorou muito para que eu conhecesse pessoas né não da noite mas assim de poder atrás fazer um evento de de me colocar de alguma maneira durante um período grande eu fiquei só estudando né só estudando trabalha uma época com produção um comercial de televisão que era uma coisa que eu gostava muito a minha a minha área né quando eu disse para você que no interior não tinha não tinha trabalho porque eu gostava muito de produção então eu trabalhava muito trabalho é uma época com produção de audiovisual aqui em São Paulo é mas é é puxadíssimo assim seu os caras viram 20 24 horas trabalhando era era pesado e não ir não eu não conseguia concretizar um pouco o que eu tinha vindo fazer aqui né então eu tive que fazer escolha ali naquele momento mas demorou Agora financeiramente demorou demorou porque como eu te disse também não os recursos eram mínimos ou você vai fazer um comercial hoje ou você vai fazer uma novela um teatro que não te dava tanto dinheiro que demora também né e mas eu nunca fui mas eu não eu não me lembro é Petri de ter tido dificuldade eu não eu não eu não olho para trás e digo para você ai eu não tive onde dormir eu passei fome aí Eu eu não me lembro eu não tenho história de dificuldade nesse sentido sabe de algum momento Pensar em Desistir em voltar para casa agora minha mãe até hoje quer que eu volte e faço uma faculdade de medicina é tão tem isso até hoje ela fica enchendo o saco mas para quem acha que a arte não dá dinheiro não dá para viver de arte lá para pagar as contas com Arte da da da qual qual o Caminho das Pedras é que assim é isso e quando eu descobri por exemplo que precisava entender o conceito da palavra artista né É isso minha minha ampliou Qual é o conceito por quê e não dá para oferecer ator o ator fica esperando o telefone tocar o ator fica esperando ser chamado para um trabalho e dá uma angústia se você não trabalha também sabe porque parece que você não tá fazendo nada e aí você começa a fazer um monte de coisa e nesse monte de coisa oitenta por cento delas são coisas você não faria sabe então assim mas você ficar parado é pior então eu comecei a enxergar né que eu podia que a minha faculdade toda minha formação também me levar me levaria poderia me levar para outros lugares então foi quando eu comecei a dirigir teatro comecei a fazer preparação de Elenco então foi vindo uma coisa de cada vez foi comprar coisas ela né Eu dou aula 14 anos eu comecei da hora em 2006 em quantos anos com 26 novo né Leon e era isso imagina chegando numa sala de aula com os alunos me olhando com 26 anos assim tinha coisa da idade Também quem sabe de e eu fui rompendo degrau por degrau esse lugar Oi e eu dava aula nos horários mais impróprios que você imagina de um ser humano às vezes domingo dia inteiro sabe já perdi aniversário de namorada já perdi neveevento porque tava dando aula e que não podia não ir sabe então começou e aí uma coisa foi trazendo outra foi trazendo outra foi trazendo outra foi foi juntando né E foi só desatualiza talhe o primeiro tu tá linha na e depois foram acontecendo é mas não e ainda tão graças a Deus mas assim daquilo que nem para mim exatamente igual a mesma história eu eu vim para cá meio sem saber que que podia acontecer mas eu só senti por eu tenho que estar lá depois de Janeiro pensei eu tenho que estar em São Paulo não faço a menor ideia do porquê mas eu vou para lá aí eu cheguei aqui deu a pandemia fechou tudo não tinha como fazer show não tem como fazer curso nada mas mesmo assim eu fiquei aqui e as coisas começaram acontecer tipo é para mim eu a vida é um mistério ainda né Eu não entendo como é que as coisas tá sendo para mim é um mas é porque traz a área Você trabalha você não para né do da tua maneira na tua velocidade ali de produção você tá fazendo coisa não ama você que você tá fazendo se você tá em movimento para algum lugar você vai e pelo menos que se não tiver nada para fazer fisicamente pelo menos se mantém ativo mentalmente do amigos meus cara abrir uma conta no Instagram no YouTube grava texto se inscreve se produz gravar um vídeo faz coisas esses dias eu entrei para dar uma aula para primeira aula no studio Fátima Toledo eu entrei assim para dar aula né apareceram os alunos para mim um dos meninos então eu te vi no teatro fazendo Roleta Russa eu fiquei com muito medo de você tipo quando imaginar que menino me viu há 4 anos atrás vai ser nem o aluno Então as pessoas estão te vendo sábio se você está produzindo então escrevendo tão te vendo e o Roleta Russa foi uma coisa maluca porque a gente estreou sem dinheiro praticamente numa salinha pequena aqui de São a 40 pessoas Tinha dia que a gente botava 80 as pessoas uma em cima das outras e a gente foi fazer uma temporada no teatro antigo Net Rio que virou Claro agora em para 700 pessoas PT a gente saiu do lugar para 40 pessoas assim e a gente foi para um lugar de 700 pessoas que lotava sabe então assim é um lugar que você vai dizer talvez se eu não tivesse feito alaércio duvidado ai mas dá muito trabalho eu ia voltava eu ensaiava morava trabalhava aqui saia no Rio de final de semana e voltava para cá então assim é uma coisa que assim é se você não faz você não tem como saber o que vai acontecer se você largou de você se você faz aquilo vai te levar para algum lugar agora se você não faz não tem mágica não tem mágica eu conheço gente talentosíssimas que não sai do lugar porque não tem coragem de dar um passo né Tem muita gente assim muito sabe muito e-mail de pessoas com medo de fazer eu sempre falo faz faz faz o que puder fazer em direção as caminho quer tomar não interessa o que que é isso não der resultado agora também fácil porque alguma coisa dentro de ti vai mudar e é uma coisa maluca não tem lugar para chegar sabe a chegou lá porque quando você chega lá acaba velho isso acabar que você vai fazer da vida é imagina se você não tem dizendo atingir nunca um lugar máximo É é um erro né você saiba que chegar lá chegar lá onde tem coisas que aconteceram comigo na minha carreira profissional aqui que que eu nem imaginaria fazer mas quando eu sair de Pirapozinho eu só queria ser ator mas nem sabia do que se era de teatro só que eu queria ser à toa que você é professor não era uma coisa que eu estava Nossa cabelo eu gostava muito né de dirigir eu fazia é coisas com playmobil cenario de fita k7 comprei mas eu gostei eu já tinha se essa visão mais simétrica da arte né da obra de arte eu gostava mas eu não sabia que era isso entendi eu não sabia que que eu viria a usar isso de alguma forma mas eu não tinha assim né a direção também caiu no meu colo muito muito espontânea sabe quando eu comecei a dirigir teatro e não parou mais então as coisas foram acontecendo assim de uma forma mas tem muito trabalho nunca foi assim eu tava lá e aí alguém Claro chamou eu percebo que tu nunca teve essa voz Esse bloqueio das coisas que queria fazer tudo sempre foi muito natural em ter coragem de fazer isso nunca teve porque eu quero que eu tenho a voz que fica dizendo para não fazer isso sabe eu vou assim eu não tenho muito medo não eu vou ver o que eu vou eu vou depois eu vejo que vai lá agora é Aquela Velha História também naquele ano não tem muito tempo se alguém te perguntar se você sabe fazer alguma coisa eu não disse que você não sabe você disse que sabe aí você vai aprender porque você disser que não sabe tá dando não né se alguém falasse a você sabe escrever roteiro claro que sei vai ter o tempo de você correr atrás e aprender porque também às vezes a gente dar os não sem né levar na casa da Ana Clara sem perceber eu me lembro por exemplo que eu fiz uma eu fiz uma web novela A e ela da internet 2005 a gente tá no Guinness era uma nova Web Novela interativa Now teve não sei nem se você conhece ao te ver era uma emissora de uma das primeiras emissoras de internet ficava ali no paraíso é com computador tijolão eles tinham programação é o dia todo assim né de jornal jornalístico de manhã Aparecida com as emissoras assim jornal de manhã Jornal do Almoço Jornal da Noite E aí eles incluíram Web Novela quero uma coisa que tava pegando não Web Novela interativa que a gente gravava quatro capítulos era um por semana e o público podia dizer o que queria acontecer então a gente esperava diretas a gente esperava um pouco para gravar as próximos episódios rar esperando a interação do público é uma coisa muito embrionária na época mas tem muita gente que tá aqui que saiu daí eu tenho colegas incríveis dessa Web Novela não sei se você conhece a Renata Gaspar Renata pinto não o que tá fazendo e funcionalista ela trabalha na faxina que tá na Globo é uma menina de stand-up também uma loira linda enfim a Renatinha foi para romântico nessa Web Novela é e essa batalha sabe que a gente vai tendo na vida e eu me lembro que tinha um programa a novela o capítulo da novela tinha 35 40 minutos e tinha um programa depois da novela que ficavam apresentador falando interagindo geralmente um ator como convidado se o capítulo ela mais centrado em você você que ia naquela semana falar um pouco sobre o teu personagem então e eu me lembro que o apresentador saiu né porque era uma emissora também que as pessoas trabalhavam nego sem grana cada um produzir seu programa era uma coisa bem na Raça mesmo a gente gravar com os nossos figurinos Por exemplo quando você levar você para roupa do personagem fazia uma tabela de figurinos que tinham a ver com a personagem estava separado para você não usar na vida e você que tinha que anotar ali a continuidade para não ter problema era mulher muito a escola para mim e eu lembro que eu assumi o programa né Pra eu apresentava o programa depois pegamos que eu nunca tinha feito contato pode fazer que sabe fazer isso aqui de fogo vocês tá levando vamos bora É apresentar a vamos ia me divertir sabe então eu nunca tive esse lugar assim de ficar com medo das coisas não é tanto que por conta disso eu quase fui trabalhar na Argentina foi onde ver a história do meu nome é a gente começou no início foi por conta disso e comecei a fazer trabalhos mais de apresentador fui apresentador de um de um canal do Santander chamado universa que era para dar dicas para jovens pílulas sobre bolsa de estudo viagem internacional coisas que acontecia eu gravava toda semana 15 e 16 pílulas de um minuto planeta-anão aqui ia para o site deles é e quando veio a Argentina foi um quase contrato com a Disney que era para fazer o E aí eles vão trocar de apresentadores e queria uma meninos e meninas para e a base dar gente de da Disney de estúdio é na Argentina entende né a base A latino-americana então tudo que é gravado de conteúdo da Disney para jovem tal é feito lá então tia que mora lá tá eu lembro que eu fiz um teste depois outra depois outra fui fazendo teste assim para o programa né quando chegou lá nas finais eu acho que tinha eu e mais quatro garotos E umas meninas também acho que eram nós éramos em 8 e eles iam escolhas que três ou quatro um menino 2000 não lembro muito bem Eu lembro que ver o diretor argentino para cá o diretor a gente não veio para cá porque ele já queria fazer uns pilotos mais ou menos de como era o programa queria testar as químicas dos apresentadores tal agora estava evoluindo e eu me lembro que ele bateu o olho em mim falou assim p**** você chama Anderson né começar meu nome Anderson acabei de falar fala você chegou a ponte lá meu se chama Anderson não mas o legal é porque o Dan se chama Anderson não é nada contra teu nome minha mãe teve a Brilhante ideia de botar o nome dos filhos tudo com a tudo com a Aí como eu fui o último eu fiquei com o Anderson e ela e ele falou para o a gente trabalha com apelidos com o nome os mais curtos não como é que é apelido de Anderson onde é que isso vai né Porque se ela Roberto é ro Rafael e Rafa não é Beto Lia sabe Ale tudo sempre você você passar para o seu nome não dá é Arturo você vai fazer entendeu ele queria um nome curto porque os caras me chamaram lá não sei o que a fulana aberto a porque a menina lá Rafa falou que não sei o que olha só a Lia tem essa coisa de Neide e ele falou você precisa de um apelido você não tem nada não eu o chão de uma Claquete escrita Dan eu peguei aquela qat levantei falei meu apelido é esse dano ele falou bom então é bom vamos usar dan eu não peguei o programa Mas eu achei o nome artístico cara por causa do Foi por causa no chão né na placa no chão no estúdio carai que loucura louco eu achei que alguém ia falar não Anderson dando estudante pronto não foi isso mas eu lhe custam falei isso no começo foi meio estranho assim foi meio esquisito e hoje é isso hoje eu atendo igual cachorro que muda de nome eu atendo super bem chamativo e o nome combina dão recente é uma coisa legal né ficou bom eu vou ver se tem perguntas aqui no grupo do telegram eu sei que já tem uma aqui que o cara mandou antes quando eu quando anunciei que ia ter um professor de teatro o Jean Azevedo perguntou a atuação é algo que é algo que posso possa ser apreendida e nada por qualquer pessoa ou aulas de atuação somente desenvolve a habilidade de pessoas que já tem é uma pergunta interessante você tá dando que a gente vive uma era de celebridades que às vezes querem se tornar atores né Eu acho que desenvolve sim você pode não chegar se exata fazer você vai ajudar você tem uma vocação né você vai fazer uma escola de medicina você pode não vir a ser o Drauzio Varella que vai dar entrevista no Fantástico né mas tem médico em todos os lugares a humanidade vai precisar de médico em todos os hospitais né Depende do tipo de médico que você quer ser eu acho que quem tem a predisposição você vai educar e vai desenvolver mas eu já vi gente que não tinha a menor talento uma nova vocação se desenvolver porque é uma habilidade né É quase que muscular porque você vai exercitar aquilo você vai exercitar aquilo que quanto mais se exercita melhor você fica aquela difícil de enxergar porque tá aqui dentro né muscular você tem ele o campo também sabe se a grande diferença é que leva tempo para as coisas acontecerem para você entender você faz trabalho ruim para caramba Tem peça que eu tirei do currículo porque eu tinha vergonha mas eu sabia que eu precisava estar lá fazendo aquilo porque eu não ia conseguir sair de lá por exemplo jamais conseguiria ter entrado direto no Roleta Russa com 36 anos de idade se eu não tivesse começado com 20 Anos Antes sabe eu cheguei a fazer Pedri as lojas Americanas e eu adorava fazer as lojas Americanas lá do interior eles fizeram um evento chamado é quartas-feiras esquisitas né que era uma era tinha promoção na loja de promoção caiu o preço do OMO sei lá e aí ele as pessoas que estavam lá e é um comprar e era toda quarta e eu e a gente foi contratado a galera de teatro para fazer personagem estranho dentro americana então a gente toda quarta-feira tinha que criar uma coisa para ficar lá 8:00 assim a gente comia no refeitório e eu com 16 anos então sempre dei muito valor para ganhar 50 há 8 horas de trabalho e o adorava porque foi uma prática de improviso direto com o mano eu era horrível Não que seja algo interessantíssimo como ator mas eu era muito descrente de chegar em algum lugar entendeu para mim tá lá na Americana trabalhando de personagem era o máximo de legal que eu podia fazer na vida né então sempre valorizei tudo e tudo é escada para você subir vezes mas existe essa a predisposição que eu acho que não pode ser algum algum outro tem uma pré-disposição Mas normalmente ninguém todo mundo bem Zerado e também acho que é legal falar que atores pessoas que mexe com áreas são muito tímidas função lendário expansivas como o cara guardar acha assim ah o Cara Para ser ator tem que ser extrovertido ele tem que já ser um cara divertido que sabe falar com as pessoas normalmente são pessoas bem fechadas né e tímidas então não sei se se ele tá querendo uma uma desculpa para ele não fazer a a fazer entendeu vamos fazer vai se só me faz feliz me desculpa as vezes se você só pra gente tem predisposição eu não vou fazer não é que tem que fazer tem que se jogar para tem que tomar experimentar para saber como é que é porque é uma coisa que assim não dá no campo das ideias ele é muito limitado é que ele ele botou ou somente desenvolve a habilidade que a pessoa já tem que você não tem habilidade é porque tem uma coisa que ela pode ser mais espontânea e às vezes o cara na família que é mais engraçado você bota o cara numa situação técnica para eu te disse uma coisa eu quero a conta piada no churrasco outra coisa você fala bom agora tem uma câmera agora você tem que falar para que o cara vai travar é muito diferente Ah meu filho a espontâneo ele dança na frente da televisão eu vou levar ele para fazer comercial tem que levar numa agência Mas você tem que ver se aquela aptidão espontânea de casa não é só alegria né não é só a pessoa que tá gostando de estar ali naquele momento tem mais aqui é pergunta você acha que é muito prejudicial uma pessoa começar muito cedo no ramo de atuação tirando como um exemplo tirando como exemplo atores mirins que hoje já adultos são muito problemáticos eu acho que é que eu acho sim sabe até uma filha de 8 anos e ela demonstrar a habilidade assim né ela começou a fazer aula de canto isso naturalmente e eu tenho segurado assim eu tenho segurado É a coisa de começar a estudar coisa de começar eu acho que a criança prodígio naturalmente ela vai ela vai explodir né você pega para Maysa e era muito espontânea tal caiu no Silvio Santos no Raul Gil EA Hoje ela está começando a ter consciência um pouco das coisas que ela quer né que eu quero fazer até então era uma garota espontânea que tava ali aproveitando o momento mas eu acho que se puder retardar um pouco eu acho interessante porque é não não dá sabe se é para ir brincar a gente vai fazer teatro para fazer jogos brincadeira brinca com os amigos eu acho que que é importante segurar um pouco sim às vezes eu vejo algumas novelas ou filmes e e eu vejo crianças eu eu eu eu penso um cérebro que ainda não está completamente desenvolvido tinha capacidade de acessar aquelas emoções daquele momento eu fico muito estranhos não sei e mais do que isso a gente tem que tomar cuidado para ver quem é um adulto que está por trás daquela criança né porque às vezes você tem um responsável que que tá é muito mais maluco do que a criança que às vezes está projetando um sonho você não sabe começa a professora da Judy garland assim que nos bastidores do Mágico de Oz tomava remédio para engordar sabe não podia comer porque não tinha que manter o corpo se então assim o horror daquela atriz passou para fazer um filme enquanto ela era ela não era já tinha ela já era maior mas ela tinha que aparentar 15 dias agende e esse mais horror que ela passou assim né as privações que ela passou como aquilo mexeu com ela mentalmente é uma monstruosidade você pensar né Então imagina tu viu aquela aquela série A sombra branca assombração da mansão blá e Via Novo interessa ainda ouvia tá primeira a primeira era segunda tô vendo agora as duas crianças né que são muito boas sim eu principalmente o menininho ele ele é muito bom pelo que eu analisei mas me assustavam com bom ele era de como é que uma criança sabe simular uma uma sensação é que ele conseguiu acessar isso você dá um novo som da da câmera que dá para dar uma manipulada né Às vezes o cara o diretor usa uma associação fala para ele finge que tá vendo uma coisa e grava e a trilha ajuda mas também a gente está falando de uma escola americana né que quem incentiva muito lá na escola americana você vai outro esporte para a arte porque é bem é bem que isto né os colégios você compete você ganha medalha você traz medalha para o colégio deixa o colégio com moral né é todos os esportes mesmo a questão da arte tem montagens incríveis então ali existe um uma naturalidade em que você aborda arte o esporte dentro do colégio então é dentro de um limite isso eu faria com a minha filha é mas é que a gente não tem né A gente não tem assim já viram uma coisa que parece que é uma futilidade você ter aptidão artística assim eu acho que essa eu acho que essa da mansão bora não é é escocês não é eu acho que ele é inglês em inglês e a Inglaterra também é bem evoluída na vamos dar muito assim tem crianças incríveis é o tem atores incríveis Porque será que No Brasil existe esse seu lado descaso desprezo ou simplesmente é ignorada essa essa essa parte da cabeça Nossa que precisa de esporte de habilidade de brincar no teatro porque eu lembro que eu primeira coisa que me chamou atenção quando eu comecei a fazer teatro era que o professor falava que a gente tinha aqui na aula retroceder e acessar de novo aquela criança que a gente tinha dentro de nós e porque a criança criativa nela consegue exato ela brinca com qualquer coisa ela consegue interagir com os eu fiz um exercício de claro que era tu tinha que pegar um objeto e recebi ficar eles você a caneta e agora outra coisa tem que inventar na hora e é muito difícil a mulher Trava muito a cabeça na hora de só consigo ver uma caneta no meu cérebro não consegue pensar em outra coisa que a gente tem que voltar para aquela aquela Infância com gente se conseguiria naturalmente fazer isso aqui ser uma espaçonave é uma espada um avião já brincar e acreditar que era né a criança brinca com qualquer coisa né a criança transforma qualquer coisa em brinquedo então é observar a criança nesse é que a gente vai crescendo e a gente vai vai vai deixa criando o significado para cada coisa a gente não é aquilo e a gente fica assim também com as Sensações tá É verdade quando a gente não lá paradigma do que que é cada coisa é complicadíssimo por isso que brincar voltar lá atrás é importante e traz que aqui no Brasil essa falta de incentivo faz as pessoas serem pessoas mais rígidas para elas crescem Porque como é que trava a infância acabou agora é adulto e nunca teve essa passagem eu acho que além da rigidez se você não trabalhou a fantasia né a sua fantasia é por nada e eu acho que quando você cresce você não consegue entender a fantasia do outro então você você vai achar que é besteira uma criança querer fazer teatro querer estudar querer fazer alguma coisa que não seja aquilo que que fique no teu campo de compreensão porque você não teve aquilo né É muito estranho isso né eu vou ver se tem mais mais pergunta aqui tem mais uma aqui é o Leandro mandou aqui é pergunta para o Dan como professor e Arthur como aluno a espaço em aulas de teatro para pessoas que não querem ser atores profissionais mas alguém que se interessa por atuação e gostei de levar isso como Hobby sim algum curso tipo de curso que eu recomendaria não tem não tem muitos males em muitos lugares assim porque geralmente Se você usar nas minhas aulas né eu tenho cursos eu tô no Wolff tô na Fátima Toledo que são cursos regulares e tem os meu eu também tenho as minhas turmas geralmente a primeira coisa que eu pergunta qual é o seu objetivo tem gente que diz que chega só eu trabalho como tal coisa e o teatro me liberta em algumas questões hoje então entra aí eu sabendo qual é o teu objetivo mesmo que você mude na semana seguinte eu vou conseguir trabalhar através do que você veio procurar né então não atores é super comum nós temos que vem para se entender para é o meu caso por exemplo para dizer para o 20 o meu casa eu eu procurei teatro que a primeira vez que eu fiz tem dado foi num bar lá em Porto Alegre 2013 tinha só não tem ninguém no bar e a família de outro comediante que você apresentar horrível bebi sete doses de Whisky pela muito nervoso entrei e com medo eu fiquei 14 minutos era para ficar cinco eu o cara o dono do bar começou a fazer cinco lanterna no fundo do bar vou parar de falar um cara teve que vir me interromper porque não parava então foi um desastre minha primeira apresentação determinar ea e no dia seguinte eu fiquei muito traumatizado e aí eu pensei como é que eu faço para me ambientar estar no holofote para eu não passar mais esse tipo de coisa aí eu fui procurar teatro e eu não troquei teatro para ser um ator para tirar 1drt trabalhar então eu eu procurei justamente para eu me sentir mais confortável aos olhos dos outros estando no centro das atenções com a luz e tal sabe lidar com o palco espaço físico e tudo mais e o que mais tem a curso que é o workshop coisa rápida intensivo tal e é uma coisa quando você entra no teatro por mais que ser falar eu não vim aqui para ser ator você vai ter que ser de alguma forma você vai brincar você é jeová trabalhar com esse lá e eu acho que a pessoa acaba querendo fazer depois sabe quem entra dá uma viciada na coisa porque você vai trabalhar melhor sua afetividade a coisa do toque a coisa do abraço é coisa do Olho no Olho sabe é geralmente é outra cobrança que você tem ali quando está num grupo de teatro é muito gostoso assim é um rito né É É quase uma religião existe um jeito existe um um os seres humanos que estão ali são pessoas incríveis diferentes Então se acaba se apegando aquilo Sabe aquilo faz falta da sua vida isso é outra coisa que para mim foi muito importante perdeu o medo do ser humano também a primeira as mesmas aulas que eles já tão eu ficava agora o cara do Cantinho ficava parado Professor falava vem fazer exercício aqui às vezes às vezes vai para o banheiro para não fazer quando eu via tipo assim eu vou começar a dar exercícios e eu olhava aquela passar eu não vou conseguir fazer ali no banheiro sumir ia e ficava ouvindo quando acabar voltava eu vou fazer esse tipo de coisa mas eu não ia embora tá vendo pelo menos você não ia para casa aí eu voltava para pensar que o Próximo exercício consigo fazer não tem gente que morre de medo de ser primeiro exercício acho que já quer né às vezes você fala assim bom eu vou dar um exercício ela mandou olhar para baixo é natural é natural até hoje por exemplo se eu entro numa sala para ensaiar como ator eu morrendo de medo no primeiro dia vou me c****** assim porque é novo é tudo novo e é saudável é isso sabe sendo que a gente a criado para ser perfeito a gente vai criar para dar certo para ter melhor emprego para ir aí o teatro quebra um pouco isso não quero perder minha filha né o chato permite a falha Aliás a falha é maravilhosa quando estudar falha incrível eu só tenho muito medo de errar né as pessoas ficam mas como é que eu faço esse exercício como é que eu posso fazer isso aqui existe muita essa esse travamento interno mas eu tô falando sobre a saber humanidade então eu procurei teatro comecei a estudar meu facilitou a minha comunicação com as pessoas também o medo de eu tenho muito medo das pessoas medo de olhar nos olhos eu não conseguia fazer isso então esse desenvolvimento que eu tive por causa do teatro se não for eu quero atuar Eu quero fazer uma novela eu quero fazer teatro de ganhar dinheiro sendo o Artur eu fui eu continuo procurando por causa da revolução mas social da minha personalidade por isso que eu para mim é uma terapia assim é mas não deixa de ser porque você tá ali exercitando esse lado que tive que te que o polido de alguma agora olha aí você vai destravar e cada um tem um tempo na verdade para destravar essas questões todas isso é legal de falar para quem não faz a menor que tem gente que não faz ideia do que que é chato quando eu falo que eu faço teatro as pessoas Olha como assim é muito interessante tu passasse a ideia para as pessoas dessa infância dessa dessa desse desse retrocesso até a nossa infância e do fato da gente ter sido torno de várias coisas a gente tá tudo rígido aqui vendo regras em todas as coisas e tudo já tem um sentido específico fala as pessoas como é que é lá esse esse destravamento do ser humano que tá tão condicionado por causa do contrato social não sei que que a gente fez com o boleto a escrita tudo travado ele que assim falando aqui entre a gente várias coisas são são a gente vai pedido de sentir né a gente tem que ser forte Homem Não Chora desde pequeno eles vão em curtindo ele TSE conceitos em cima é assim que a gente vai acreditando que ser forte é homem não chora' na sabe e que chorar é no mostra que você tá chorando tá sentindo dor mas olha não sabe não não fala para outra aqui não não não vai chatear Cuidado para não ser mal educado você vai criando conceitos ali que vão te colocando dentro de uma bolha E aí quando você cresce você tem que lidar com isso de uma forma pesadíssima Por que você tá sentindo coisas mas se foi dito que não pode que é feio né e eu acho que o teatro ajuda um pouco a resgatar essa criança que existe em você dentro desse adulto que tá precisando também se fortalecer eu tenho fundo é isso né Tem muita muita gente de diárias muito sérias que procuram teatro né advogado empresário em cursos mais rápido assim de intensivo para oratória para poder falar melhor para poder como você disse focar olhar no olho de se desenvolver né a gente tá é importante assim é muito importante para que você acaba desenvolvendo destravando alguns talentos que você tem e que vão servir não sopra para o jogo cênico mas também para tua vida pessoal sim e o medo do ridículo porque o ser humano tem medo de ser rídiculo porque a gente não consegue rir da gente mesmo sabe a gente tem muita dificuldade de rir da gente e aí só uma trava péssima assim né a gente ela vem solta uma limpei da você fala que não é você parece que não rir mesmos fui eu assumi sabe de coisa simples Até coisa questões mais trágicas mas acontece uma m**** assim né E aí é muito engraçado mas Ah tá você não se permite também tá errado ter se equivocado Sabe às vezes você fala uma coisa errada e quer se desculpar que não falou né que eu então é uma palavra que você não sabe alguém te corrigir porque a gente a gente tem o ridículo tá um pouco nas pequenas coisas do dia-a-dia sabe das espontaneidades que a gente vai perdendo e acho que o ridículo é isso é explorar um pouco esse lugar do erro do Risco nasce último curso que eu fiz lá lá no vou fu Maia eu botei na minha cabeça e um voo seu primeiro em várias coisas que eu quero me expor esse ridículo de não saber o que que vai acontecer em seu primeiro a tentar aquele exercício seu consentimento e minha esposa o ridículo mas ainda é muito difícil estar ridículo é maravilhoso porque o ridículo ele é Libertador sabe é é é Libertador que te conhece muito mais depois que tu faz uma coisa ridícula e aceita tu te conhece muito mais vamos ver se você tem não tem pergunta no chat aqui do YouTube acho que não tem tem bastante comentário mas não tem aquelas perguntas que aparecem que tá chovendo o grupo do telegram um ver se tem aqui se não é isso aí Vamos ver Essa foi a última pergunta foi do cara que queria ver se podia ser estudar teatro por hobby E então é isso aí tomar um tempão aqui já muito obrigado por mais linda e aceitar o convite nesse projeto está começando ainda não tá não tá legal Eu que agradeço eu tava lendo você já tá não tá grande aí por isso que eu quis falar eu te acompanha tenho visto acho muito legal assim achei legal ter te conhecido Em janeiro você ter ficado e tá desbravando essa cidade aqui Eu que agradeço o convite Eu adoro falar quando você quiser a gente bate papo adoro adoro melhora quando mando de volta é só me chamar que eu tô de volta e parabéns pela iniciativa tem um acompanhado e e siga não fique parado de valor fica parado não sai do lugar valeu beleza obrigado aí pessoal que ouviu até aqui é isso aí outro dia estamos de volta aí com o à Deriva tchau tchau

Trivia

Curiosidades do episódio

O que o pessoal achou

Comentários


Compartilhe com seus amigos

À Deriva

Entrevista com um toque de humor, por Arthur Petry

Dan Rosseto

Dan Rosseto é ator, diretor, dramaturgo, escritor e professor de teatro.